Sobre o tratamento

Um sorriso bonito, saudável e radiante é o desejo de muitas pessoas. Afinal de contas, ele funciona como o cartão de visitas. Devido a isso, muitos estão buscando na gengivoplastia uma maneira de melhorar ainda mais a estética bucal. 

Como o próprio nome indica, a gengivoplastia é um procedimento que visa melhorar a aparência das gengivas, tecido que sustenta os dentes e os protege da ação de microrganismos nocivos. Alterações na forma dessa estrutura podem trazer um efeito não tão agradável ao sorriso, o que pode ser corrigido durante a cirurgia. 

No entanto, há muitas dúvidas sobre esse tipo de prática. Como ela é feita? O procedimento dói? Todos podem realizá-lo ou há contraindicações? Como é o pós-operatório? Neste post, vamos discutir todos esses tópicos e tirar suas principais dúvidas sobre o assunto! Vamos lá? 

O que é a gengivoplastia? 

Você gosta do seu sorriso? Para muitas pessoas, sorrir pode ser um ato bastante desconfortável e uma das razões para isso é o chamado sorriso gengival, ou seja, aquele que apresenta uma grande quantidade de gengiva exposta. 

Gengivoplastia é o nome dado ao procedimento que tem como principal objetivo ‘’reformar’’ as gengivas, deixando-as mais harmônicas e equilibradas no sorriso do paciente. 

Muitas vezes, outro procedimento é feito em conjunto com a gengivoplastia: a gengivectomia. Aqui, pequenas porções da gengiva são removidas para harmonizar a proporção entre ela e os dentes do paciente.  

Como esse procedimento é feito? 

A gengivoplastia é um procedimento relativamente simples, que pode ser feito em pouquíssimo tempo. Os cuidados se iniciam com os exames pré-operatórios, que incluem moldagens, imagens de raio X e outras preparações, para garantir a saúde do paciente e conversar sobre o resultado esperado. 

Além disso, o tratamento gengival é fundamental para seguir com a cirurgia. O paciente deve ter gengivas saudáveis e fortes para que o dentista dê seu aval para a realização do procedimento. 

No dia da cirurgia, o primeiro passo é a antissepsia da região, feita para garantir que não há bactérias ou qualquer tipo de sujeira na boca do paciente. Em seguida, é administrado o medicamento anestésico, cujo objetivo é garantir o conforto e evitar qualquer tipo de dor durante o procedimento. Por isso, é possível dizer que a gengivoplastia não dói. 

As ferramentas utilizadas pelo dentista podem variar desde um bisturi normal para os elétricos a laser. Esse tipo de diferença interfere no tempo de cirurgia, mas não no resultado. Para saber a técnica utilizada pelo profissional responsável pelo seu caso, basta perguntar e tirar suas dúvidas! 

O próximo passo é a realização da incisão na gengiva e seu descolamento dos outros tecidos. Em casos de gengiva excedente, o que estiver a mais será retirado. Já nos casos de retração gengival, quando ela diminui, a realização de enxertos pode ser feita para uniformizar a região. Após a realização de todos os passos necessários, o procedimento é finalizado. 

Para quem a gengivoplastia é indicada? 

Na maior parte das vezes, o dentista pode indicar esse procedimento aos pacientes que estão insatisfeitos com o seu sorriso ou que sofreram danos na gengiva devido a problemas bucais, como periodontite, sejam eles originados da falta de higiene bucal, devido a medicamentos ou outros fatores. 

Confira, a seguir, algumas das principais indicações para realizar o procedimento: 

  • retração gengival; 
  • sorriso gengival; 
  • hiperplasia da gengiva. 

Para descobrir se o seu caso se aplica a essa cirurgia, basta conversar com o seu dentista e tirar todas as suas dúvidas! 

Quem não pode fazer a cirurgia? 

Por ser um procedimento relativamente simples, há poucas contraindicações para a sua realização. No entanto, é necessário ficar atento a alguns fatores que podem impedir a cirurgia. Confira: 

  • processo inflamatório na gengiva; 
  • proporção desfavorável entre a coroa e a raiz; 
  • risco de exposição de furcas; 
  • possibilidade de criação de desníveis nas margens da gengiva; 
  • casos de necessidade de deslocamento da crista óssea. 

A avaliação desses pontos só poderá ser feita por um cirurgião dentista, após a realização de exames complementares. Além disso, a negativa para a cirurgia em determinado momento não quer dizer que o procedimento jamais poderá ser feito. Algumas vezes, com o tratamento adequado, é possível realizá-lo posteriormente. 

Quais são os cuidados necessários no pós-operatório? 

A cirurgia odontológica avançou muitíssimo nos últimos anos e, por isso, hoje os pós-operatórios são muito mais tranquilos do que eram antigamente. No caso da gengivoplastia, isso não é diferente; é possível se recuperar desse procedimento com o mínimo de desconforto. 

Na maior parte das vezes, é solicitado apenas um repouso de cerca de um dia e o paciente pode retomar suas atividades habituais em seguida. O que deve ser evitado, no entanto, é a prática de atividades físicas que exijam muito esforço, já que isso pode prejudicar a recuperação. 

A cicatrização, assim como todos os outros aspectos, dependerá muito do organismo de cada paciente. No entanto, o tempo estimado para que tudo esteja certo é de cerca de uma semana. 

De modo geral, os cuidados com o pós-operatório de uma gengivoplastia são: 

  • repouso moderado nos dois primeiros dias; 
  • evitar atividades que envolvam muito esforço físico; 
  • preferir alimentos frios ou em temperatura ambiente; 
  • evitar consumir alimentos rígidos nos primeiros dias, priorizando os líquidos ou pastosos; 
  • ter uma higiene bucal impecável, com escovações periódicas; 
  • tomar todos os remédios prescritos nos horários recomendados pelo dentista. 

Para saber ainda mais sobre os cuidados necessários, converse com seu cirurgião e tire todas as suas dúvidas! Lembre-se de que cada paciente é completamente único e algumas recomendações podem variar. 

GengivoPlastia-dentista-tucuruvi-1
QUER MARCAR UMA CONSULTA?
Entre em Contato Conosco